Histórias de Vida

Qual a importância da preservação das histórias de famílias e organizações e das nossas próprias histórias de vida? Em artigo publicado no blog do New York Public Library, a bibliotecária Carmen Nigro enumera 20 razões pelas quais indivíduos, famílias e organizações devem considerar trabalhar com um historiador pessoal para preservar suas histórias.

Listamos a seguir as 20 motivações citadas por Carmem, e comentadas por 20 membros da Association of Personal Historians (Associação de Historiadores Pessoais), em tradução livre e adaptada para o português brasileiro.

Razão 1
Você vai se sentir mais sábio.
A sua história pessoal ou familiar vai além de nomes e datas. Ela faz você entender mais sobre si mesmo, a partir do conhecimento sobre quem eram seus antepassados, o ambiente em que cresceu e como foi educado. As datas da sua vida e de outros em sua família estimulam memórias. E todos nós temos lições e aprendizados que devem ser preservados e passados para as gerações atuais e futuras. Por Susan T. Hessel

Razão 2
Histórias de família são importantes documentos históricos.
A história mais precisa e convincente não é aquela encontrada a partir de jornais e noticiários, mas a que é contada por quem a viveu. A narrativa em primeira pessoa, ou “fonte primária”, não se baseia em boatos. Em vez disso, ela é baseada nas memórias de uma vida, testemunha da história. Podem ser encontradas nas cartas, narrativas e nos diários pessoais daqueles que gostam de registrar a própria história e compartilhar “como era” viver em determinado tempo e lugar. Esse tipo de narrativa traz à vida “pedaços” de vidas individuais, bem como o significado dessas vidas. Por Joan Tornow

Razão 3
Você é importante
A experiência cotidiana das pessoas comuns é importante. Suas experiências têm um poder único para se conectar através do tempo, para inspirar, ensinar, proteger e excitar. Sua voz irá despertar os sentimentos de outra pessoa. Sua voz irá ressoar neles e eles vão se sentir em conexão com você, de uma forma que não podemos explicar plenamente. E é essa ressonância e conexão que vai moldar como eles irão ver e experimentar o seu mundo. Escreva o seu livro de memórias. Escreva sua autobiografia. Escreva sua história familiar. Você é importante e tem “algo” a transmitir, de interesse, para seus filhos, à sociedade, para as gerações futuras desconhecidas. Por Jill Sarkozi

Razão 4
Você e sua família são importantes para alguém, provavelmente muitos alguéns.
Você e sua família são importantes para alguém. Provavelmente muitos alguéns. E eles têm curiosidade em saber sobre o que você e sua família trouxeram a este lugar. Eles querem ouvir sobre os tempos difíceis, os momentos de diversão, sobre os dias antes dos computadores, sobre as tradições familiares, seus sonhos, amores, suas esperanças. Eles querem saber o que você aprendeu, como lidou com as dificuldades, seus arrependimentos; quem você é e o que tem experimentado ao longo da vida. O que você aprendeu tem valor. Você é a única verdadeira testemunha dos eventos da sua vida! Você também é a única testemunha sobrevivente de tantas outras vidas importantes. Fazer o registro da sua história e/ou da história da sua família é o maior presente que você poderá dar aos seus entes queridos, e para todas as gerações futuras. É também uma espécie de imortalidade. Por Jane Shafron

Razão 5
Histórias de vida adicionam profundidade à árvore genealógica.
Árvore de família é uma lista de nomes e datas que reúne gerações de uma mesma família. Encontrar nomes e datas sobre os nossos antepassados é excitante, mas aprender mais sobre onde eles viviam e o que eles fizeram na vida é muito mais. Quem eram realmente essas pessoas e como elas viviam? O que elas poderiam dizer sobre sua família? Grande parte das histórias pessoais de seus antepassados foi perdida. No entanto, você pode começar a recolher as histórias da sua vida. No futuro não muito distante, um membro da família, um neto (a), bisneto (a), pode querer saber mais sobre você. Quem era essa pessoa que viveu em 2015? Qual foi a sua vida? O que ela sabe sobre a minha mãe ou o meu pai? Você pode adicionar essas histórias à sua árvore genealógica para as gerações que ainda estão por vir. E acredite: eles vão agradecer você por isso. Por D. Fran Morley

Razão 6
Memórias ao longo do tempo tornam-se fragmentadas e distorcidas.
É sempre muito cedo para fazer o registro das suas histórias de família, até que seja tarde demais. Quantos de vocês têm entes queridos que envelheceram e partiram antes que os detalhes de suas vidas fossem claramente documentados? Detalhes importantes da vida permanecem um mistério por causa de perguntas que você não pensou em pedir ou escrever até que fosse tarde demais. Memórias ao longo do tempo tornam-se fragmentadas e distorcidas. As pessoas podem não se lembrar das coisas que você disse a eles, mas não escreveu. E os seus descendentes vão querer saber da sua história; eles vão comemorar seus triunfos e aprender com seus erros. Eles vão ser pessoas melhores por causa disso. Por Deborah Perham

Razão 7
Você irá descrever seus antepassados como você os vê.
Escrever um livro de memórias de família ou história pessoal é a oportunidade para alguém contar sua própria história, para evitar que ela seja usurpada por outros. É o narrador que enfatiza e escolhe o que dizer. O narrador, muitas vezes tem a vantagem de ver como eventos, circunstâncias, histórias e dinâmicas influenciou as gerações seguintes. Não permita que outros contem a sua história. Escrevendo sua história familiar, você tem a oportunidade de representar seus antepassados como você os vê. Sua história familiar é sua, para você contar. Por Susan Terrill-Flint

Razão 8
A narração pode trazer à tona questões importantes.
A narração pode trazer à tona questões importantes, histórias que ficaram nas sombras e agora estão prontas para ocupar o seu lugar. Dentro de uma narração podemos ouvir como uma doença rara, uma deficiência, orientação sexual, ou uma morte violenta mudou o curso de uma vida. Podemos nos tornar conscientes de como alguém foi marginalizado e lutou por razões étnicas, raciais, religiosas ou políticas. Damos o real valor e dimensão a uma vida, qualquer que seja. Por Elisabeth Pozzi-Thanner

Razão 9
Histórias de mulheres são narrativas necessárias.
Ao explorar nosso sobrenome, descobrimos as personagens e histórias que influenciam o legado da nossa família. Muitas vezes essas narrativas têm uma tendência paternalista e segue únicamente os descendentes do sexo masculino, que levavam o sobrenome, a prova da ligação familiar. Mas o que está por trás de um nome de solteira? A história de nomes de solteira pode fornecer histórias ricas e necessárias que acrescentam à história da família. E histórias de mulheres são narrativa necessárias para a vida. Por Shannon Stallone

Razão 10
Você não precisa ser famoso para ter sua biografia.
Por demasiadas vezes as histórias vêm somente por meio daqueles com mais riqueza e poder. O fato é que pessoas comuns têm histórias maravilhosas para contar também! Muitas pessoas definem suas vidas não em ganhos materiais, mas em outros tipos de riquezas. E essas são histórias que importam. Se esta é sua história de família, o mundo precisa ouvir sua voz. Por Just Judy

Razão 11
Histórias de família aproximam você de familiares.
Alguma vez você já olhou para uma fotografia de um antepassado e teve uma forte impressão de quem eles provavelmente eram? Você realmente sabe se a sua impressão é correta? Um livro de memórias pode contar a história de um familiar que até então você não conhecia ou conhecia de “ouvir falar”. A narrativa traz à vida os membros da família que morreram antes de você nascer, ampliando seu olhar acerca desse familiar ao fornecer diferentes percepções de quem ele era. Ou ainda parentes longínquos, de que as gerações mais jovens nunca tiveram a chance de conhecer. Quem vai contar suas histórias e preservar suas personalidades e traços individuais na memória da família? Será você? Por Linda Coffin

Razão 12
Pesquisar sobre familiares trará novos fatos à sua vida
Na ausência de fatos suficientes para contar histórias dos nossos antepassados, muitos de nós se voltam para livros de história e arquivos de jornais para saber sobre eventos específicos e os efeitos sobre suas vidas. Esses recursos podem fornecer um contexto, fazendo de quem escreve e/ou pesquisa um observador cultural, histórico e social. Por Carolyn Parrott

Razão 13
Pode ajudá-lo a compreender as dinâmicas familiares atuais
Escrever sua história familiar irá trazer uma nova compreensão para a sua vida familiar atual. Sua pesquisa genealógica e descoberta das histórias de família irão revelar muito sobre as relações entre seus familiares. Essas relações e situações passadas afetam a família, assim como padrões do passado afetam a história do mundo. Esse resgate histórico pode ser esclarecedor para você, uma espécie de “tesouro”, porque irá lhe forçar a olhar para a sua vida, “reformá-la” de muitas maneiras, rir de coisas que até então você tinha levado muito a sério. Você de certa forma vai amadurecer em muitos aspectos e quem sabe se tornar mais tolerante e solidário (a), também libertando-se de dúvidas e medos. Por Deborah Wilbrink

Razão 14
Irá ajudá-lo a construir ou solidificar um sentimento familiar.
Ao escrever sua história familiar, muitas vezes há o medo subjacente de ofender a tia favorita ou insultar um primo amado, dando início a uma briga na família. No entanto, é muito mais provável que o seu registro seja apreciado. As recompensas de preservar lembranças da família são muito maiores do que os riscos. Você não tem que ser um escritor para escrever sobre a sua vida ou história familiar. Você não está competindo com ninguém ou comparando sua vida ou a sua escrita com as dos outros. Você está fazendo isso para si mesmo, possivelmente, para ver até onde você veio na vida, ou para deixar um legado para seus descendentes. Por Susan Marg

Razão 15
Escrever é reflexivo. Escrever é investir em si mesmo.
Ao escrever sua história pessoal, você coloca perspectiva e propósito em sua vida. Você começa a compreender-se melhor e valorizar o que você já tem. E ninguém é mais qualificado do que cada um de nós a escrever sobre nossas vidas, e quando nos permitimos colocar as nossas histórias da família no papel, nós descobrimos que o processo de escrita vale ouro, não cascalho. A escrita é uma exploração. Uma memória leva a outra, e de repente vemos quão rico nossas histórias de família são. Ainda melhor é a descoberta de que quanto mais escrevemos sobre o passado, mais poder temos para moldar o futuro.  Por Jean Sheppard 

Razão 16
Escrever sobre a família é terapêutico.
Estudos mostram que escrever sobre si mesmo e experiências pessoais pode melhorar transtornos de humor, ajudar a reduzir sintomas em pacientes com câncer, melhorar a saúde após um ataque cardíaco, reduzir visitas ao médico e até mesmo melhorar a memória. O ato de escrever sua história pessoal pode levar a mudanças de comportamento e elevar a felicidade em sua vida. O que está esperando para começar a escrever o seu livro de memórias? Por Nechamie Margolis

Razão 17
A vida de seus ancestrais não são vidas perdidas.
Embora o tempo não seja seu amigo nesta pesquisa, não dê por certo que as vidas de seus ancestrais estão perdidas. Em algum lugar existem evidências das pessoas que já estiveram aqui e você pode encontrar essas evidências. Nós todos pensamos que temos tempo, mas acredite, não temos. Memórias e registros desaparecem. Você já tomou algum tempo para falar com os seus familiares que são mais velhos, que conhecia os seus avós ou bisavós? Faça isso agora! Por Marjorie Turner

Razão 18.
Vai ter um impacto mais amplo do que você possa imaginar.
Você já pensou em compartilhar sua história de vida com a sua família ou até mesmo com o mundo? Compartilhar sua histórias de vida tem um poder imensurável não apenas para a sua família mas também para a comunidade em geral. Essas histórias continuarão a ser transmitidas através das gerações futuras. Escrever suas memórias permite-lhe ainda dizer o que quer que seja com suas próprias palavras, à sua maneira, abrindo seu coração para quem vai ler! Por Annie Payne

Razão 19
Irá aproximar você de familiares distantes.
Membros da família, parentes distantes e até parentes que você não fazia ideia da existência podem tornar-se mais próximos ao contribuir na sua pesquisa familiar com documentos, fotos e histórias sobre seus antepassados. Você nunca sabe quem poderá lhe estender a mão, e qual peça fundamental no quebra-cabeça da família essa pessoa irá fornecer. Por Michelle Sullivan

Razão 20
Você irá preservar importantes documentos da família.
Na pesquisa para a escrita do livro de memórias você irá preservar documentos importantes que oferecem dados sobre a sua história familiar tais como certificados, cartas, diários etc. Para a sua família, estes documentos funcionam da mesma forma que os documentos históricos para uma nação. Ou seja, são um registro da história do homem no planeta.  Por Tom Taylor

 

4 de janeiro de 2016
20intro5

20 razões para escrever suas memórias

Qual a importância da preservação das histórias de famílias e organizações e das nossas próprias histórias de vida? Em artigo publicado no blog do New York Public […]